SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Adeus, anônimos

No uso das minhas atribuições de proprietário deste espaço insalubre informo que, doravante, não mais serão aceitos comentários anônimos, contrários, favoráveis ou instalados sobre confortáveis muros.

Fale o que você achar adequado. Mas identifique-se, porra!

Ou mande-me um e-mail. A menos que você autorize, comprometo-me a não publicar.  

2 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sadres Esdras disse...

Mas que patavina paradoxal! Uma excelente língua solta, sem cuecas, despudorada, lambendo e cuspindo em tudo e todos. Um Ornitorrinco que põe ovo, mas mija leite pelos dedos querendo fechar a boca dos anônimos sem nenhum beijo? Diversos comentários apagados me faz refletir se devo ou não comentar, pois o risco de ser censurado é alto. Mas como ando perdendo tempo ao ler este blog sujo,(mas muito interessante) porque não perder tempo para nada?

Após o intróito, gostaria de perguntar ao autor deste diário ateu e raivoso, o porquê de tanto ódio? Primeiramente imagino que a vida não deve ter sido muito limpinha, mas não é para ninguém... Mas pensando bem (se é que é possível), acredito que o ódio não é por Deus, mas sim por ser tão pequeno a ponto de não entender ou não ser agraciado por uma possível revelação. Revelação sem dízimos, fogueiras ou censuras. O que você e muitos não entendem é que Fé e religião são coisas que não combinam, ao contrário do que as igrejas tentam vender (e possuem clientela cada vez maior, inclusive para os ateus. E sabe porque - numa sociedade com avanços tecnológicos, científicos e filosóficos - as religiões crescem tanto? Porque no fundo do ser - independente da cultura ou do isolamento - todos (eu disse todos) possuem uma intuição de que existe algo além da matéria. Porém, o ser limitado pelos sentidos humanos cheira, ouve, pega, sente e vê apenas o que suporta. Por isso o ódio. A raiva. O ataque. A intuição é escanteada. Caso contrário seria apenas o desprezo e a indiferença.