SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Senadora Marta Suplicy, do PT-SP, pretende conferir à líderes religiosos o "direito" de manifestar LGBT-fobia, desde que de modo suave e pacificamente em cristo, todavia. Diante disso, permitam-me: que nojo!


Li no indispensável Paulopes que "A senadora Marta Suplicy, do PT-SP, a relatora do projeto que criminaliza a homofobia,  fez um acordo de bastidores com a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros) e abriu exceção aos religiosos, tornando-os  imunes diante da nova lei, caso seja aprovada.
Ela alterou o texto do projeto, ficando assim: “A lei [da homofobia] não se aplica à manifestação pacífica de pensamento decorrente da fé e da moral fundada na liberdade de consciência, de crença e de religião".

No que me diz respeito, a senadora deveria aproveitar o embalo e conferir logo às tropas do atraso religioso o direito de manifestar apoio ao racismo e à escravidão, inclusive denunciando aos seus rebanhos-babões que o governo petista, esquerdista, búlgaro e abortivo age contra as leis de deus ao combater o trabalho escravo e, é claro, também deveriam ter direito de proclamar que às mulheres cabe posição de subordinação e obediência em relação aos homens, mandando que elas apanhem e morram em obsequioso e conveniente silêncio, sendo lícito que as adúlteras e aquelas que forem violentadas sejam piedosamente apedrejadas.

Seria ainda adequado que dona Marta modificasse a legislação penal de modo a permitir que os religiosos possam mandar matar aqueles que não guardem os sábados e, muito importante já que estamos a falar de liberdade de crença, que qualquer pai possa vender suas filhas como escravas sexuais.

Afinal, tais porcarias, não nos esqueçamos, decorrem “da fé e da moral fundada na liberdade de consciência, de crença e de religião” e estão inscritas no mais inútil e letal dos livros, a bíblia.

Eu sei que o preconceito não acaba por decreto mas, putaqueospariu!, quando o proselitismo raivoso do preconceito derivado da fé obtusa se transforma em "direito" para um bando de torquemadas ansiosos por novas e luminosas fogueiras, bem, aí o caldo engrossa porque, para mim de maneira irrefutável, a pregação de ódio ao povo LGBT, diuturnamente realizada nas igrejas, sinagaogas e mesquitas deste Brasil, ainda que com voz e gestos sempre suaves, cria as condições para a aceitação social para a violência que, a cada 36 horas mata um brasileiro ou brasileira do povo LGBT.

Por meu filho Jean, que amo incondicionalmente e que decidiu viver sua sexualidade publicamente e que está, agora também graças ao pragmatismo gosmento da dona Marta, sob perigo ainda maior, declaro mais uma vez ser meu dever de pai defendê-lo. Dever incontornável, meus caros.

Isso continuará sendo feito, hipócritas religiosos de merda. Meu filho não é uma aberração, não é uma abominação e, que fique sempre muito claro, vocês é que constituem evidente ameaça à minha família. 

----------xxxxxxxxxx----------

E por falar em religiões e em suas montanhas de bullshit, leio no mesmo Paulopes que "Um sacerdote muçulmano que mora em um país europeu está recomendando aos pais e maridos que as mantenham as mulheres longe de bananas e pepinos para evitar que tenham quaisquer “pensamentos sexuais”.

No Irã e na Arábia Saudita, dentre outros países, patifões como esse ditam as leis com base no livrão sagrado e letal lá deles, o Corão. 

No Brasil, por enquanto, evangélicos e católicos ainda não conseguiram tanto poder mas, aqui e ali, às vezes até com uma "forçinha" do PT, eles vão nos impondo sua anormal visão do mundo e da vida.

E vocês querem que eu respeite religiões?

2 comentários:

Rosangela Basso disse...

Onde vamos parar? Socorro, o PT está sendo evangelizado? VTNC

Bacucu com Farinha disse...

Mim quer espelhinho... mim quer apito... mim não quer ser cristão... mim quer ser somente índio...

Índio "murubixaba" que sê não ganhar espelhinho e apito Marta, olha que 'Caminha' te enrraba.

Então eu 'Suplicy' para você Marta, deixe as coisas como estão... essa coisa de exceção aos religiosos não vai dar certo. Não vai dar certo... "Relaxe e Goze" Martita.

É por essas e outras que após quase 25 anos de partido, me desfiliei do PT...

Um abraço meu Caro 'Pajé' Cequinel, a luta vai ser longa...

Neuton Pires