SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Deputado evangélico propõe criação da Polícia Religiosa Federal

Do correspondente em Brasília

O deputado Feliciano Bolsonaro (PR-RJ) apresentou projeto de lei que cria a PRF - Polícia Religiosa Federal. Ao discursar na Comissão de Defesa da Família, da Propriedade e de Combate à Ditadura Gay, Feliciano Bolsonoro alertou as autoridades sobre a gravidade da situação vivida pelas famílias brasileiras em face do que denominou a "ofensiva gay de inverno". Discorreu com a serenidade que o caracteriza sobre o crescimento "da atividade solerte daqueles que não têm deus em seu coração", destacando que a CNBB realizou pesquisa que apontou números estarrecedores, vez que em 2011 já foram "inaugurados 126 Templos da Igreja Mundial Ateísta Renovadora", notadamente em Antonina e no nordeste.

A PRF terá poderes para prender em flagrante mulheres que mostrem qualquer parte do corpo, ou mesmo ousem pensar ou falar em público e, enviará pessoas integrantes de organizações LGTB para campos de concentração e de reeducação religiosa, e de cura em cristo e poderá fechar spas, templos de religiões não ocidentais e cristãs e quaisquer lugares não ungidos em cristo, segundo o entendimento de qualquer autoridade religiosa local.

A Comissão, presidida pelo senador Crivella Pinheiro (PSDB-RS), encerrou a sessão com singela oração ao espírito santo e ao acre. Dois milagres urgentes foram registrados pelas taquígrafas.

Fonte: O Estado de Antonina 

3 comentários:

Luciana disse...

Ô Cequinel, essa informação já foi verificada?
Eu não duvido do que esse ser bestial é capaz, entretanto, um PL tem de ter número.
Se isso for verdade, e se o congresso aprovar isso, eu vou embora do Brasil. Juro.
Me recuso a viver em uma teocracia. E é nisso que os cristãos evangélicos e católicos radicais querem transformar o Brasil: numa teocracia, com o tribunal da Santa Inquisição no lugar do STF...

Anônimo disse...

É falsa, a correta é esta:

http://www.odocumento.com.br/materia.php?id=365095

Deputado propõe criação da Capelania Militar
16/06/2011 - 13h33

Da Assessoria

A Assembleia Legislativa começa a analisar o Projeto de Lei nº 286/2011, que propõe criação do serviço de assistência voluntária a chamar-se Capelania Militar, no Estado de Mato Grosso, subordinado ao Comando Geral da PM/BM MT. O objetivo é prestar assistência religiosa, espiritual e colaborar com a formação cívica, moral e ética dos policiais militares, bombeiros demais servidores e familiares.

Já que a diversidade religiosa caracteriza a sociedade atual, o autor do projeto, Ezequiel Fonseca (PDT), defende a importância de garantir a pluralidade de participação na Capelania, permitindo o acesso de PMs e recrutados entre ministros religiosos de diferentes denominações religiosas, registradas no país.

“Essa é uma experiência positiva já adotada em inúmeros países e repetida no Brasil, por meio da presença da Capelania Militar na Polícia Militar do Rio de Janeiro, de Pernambuco e do Distrito Federal. Demonstra a importância que a assistência religiosa tem para o ser humano”, defende o parlamentar.

Aos capelães, além do conhecimento da legislação policial-militar no que concerne as suas atribuições religiosas, compete levar assistência religiosa às famílias de todos os integrantes da corporação; visitar com frequência, os doentes da corporação nas enfermarias ou hospitais; fazer com que sua presença seja sempre agradável e confortadora nos momentos de angústia e situações de discórdia, entre outras atribuições.

“Além dos problemas rotineiros de ordem conjugal e com superiores, também existe os subjetivo de ordem emocional, muitas vezes consequência da árdua tarefa do policial militar. Todas essas situações, que têm obviamente uma dimensão espiritual, carecem da atenção de um especialista no assunto”, defende Ezequiel Fonseca.

Beto disse...

what? depois dizem que eu exagero, quando digo que o taliban é aqui.