SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Sadres Esdras

1. Eis que em 30 de junho fiz postagem para comunicar que não mais publicaria comentários anônimos e, Sadres Esdras, em 5 de julho,honrou-me com o comentário que reproduzo, por pertinente, integralmente.

Mas que patavina paradoxal! Uma excelente língua solta, sem cuecas, despudorada, lambendo e cuspindo em tudo e todos. Um Ornitorrinco que põe ovo, mas mija leite pelos dedos querendo fechar a boca dos anônimos sem nenhum beijo? Diversos comentários apagados me faz refletir se devo ou não comentar, pois o risco de ser censurado é alto. Mas como ando perdendo tempo ao ler este blog sujo,(mas muito interessante) porque não perder tempo para nada?

Após o intróito, gostaria de perguntar ao autor deste diário ateu e raivoso, o porquê de tanto ódio? Primeiramente imagino que a vida não deve ter sido muito limpinha, mas não é para ninguém... Mas pensando bem (se é que é possível), acredito que o ódio não é por Deus, mas sim por ser tão pequeno a ponto de não entender ou não ser agraciado por uma possível revelação. Revelação sem dízimos, fogueiras ou censuras. O que você e muitos não entendem é que Fé e religião são coisas que não combinam, ao contrário do que as igrejas tentam vender (e possuem clientela cada vez maior, inclusive para os ateus. E sabe porque - numa sociedade com avanços tecnológicos, científicos e filosóficos - as religiões crescem tanto? Porque no fundo do ser - independente da cultura ou do isolamento - todos (eu disse todos) possuem uma intuição de que existe algo além da matéria. Porém, o ser limitado pelos sentidos humanos cheira, ouve, pega, sente e vê apenas o que suporta. Por isso o ódio. A raiva. O ataque. A intuição é escanteada. Caso contrário seria apenas o desprezo e a indiferença. (
Sadres Esdras)

2. Nossos sistemas de monitoramento e de controle de visitantes registram, em vídeos, que Esdras vem ao blog ainda antes mesmo de apor seu comentário, fazendo incursões de reconhecimento, olhando tudo com muita atenção e, para gáudio da Alta e Insigne Direção, em 1 de agosto, torna-se o seguidor nº 115 deste espaço insalubre e, baiano cauteloso, foi logo informando que ao nascer não falou com a imprensa e, no sentido de esclarecer-nos todos, urbi et orbi, tomou  emprestadas as seguintes e geniais palavras de Gilberto Gil: “A baianidade dos soteropolitanos está inserida na coisa cósmica profunda da calma uterina de mama África, o que transcende mesmo a existência sonora do silêncio dos trios elétricos. Não que a essencialidade do carisma possa ser simplesmente explicada pelos afoxés e pelo requebrar das regras da malemolência das meninas baianas, mas o paradigma esotérico é como assim fosse um arco-íris tropical”. (Gil, Enunciado 37, 12/09/1969)

3. Em relação ao comentário, permito-me, no uso das minhas atribuições, replicar que:
a) as melhores patavinas são as pneumáticas, de larga produção aqui no sul; as paradoxais, pelo que sabemos, existem apenas no Recôncavo, onde se reproduzem sob proteção do Ibama;
b) quem anda de cuecas e tem a língua solta é o Bolsonaro que, de fato, vive a cuspir em tudo e todos;
c) não é verdade que eu não acredite em revelações, meu caro: ocorre que, nestes tempos de câmeras digitais, ninguém mais precisa de revelações. A culpa não é minha.

4. Ao tempo em que lhe apresento as mais calorosas boas vindas de estilo, invoco as bênçãos de Tashima, o deus que têm como função precípua de manter aquietado Namazu, o bagrão ensaboado que vive nas entranhas na terra e provoca os terremotos e tsunamis. Tashima bless you.

Haulo Boberto Wequinel
Gerente de Relacionamento com Seguidores
The Followers Ornitorrinco Fan-Club

2 comentários:

Sadres Esdras disse...

Obrigado pela pronta resposta, didaticamente enumerada. Estava já há algum tempo pensando em abrir um blog sujo. O Ornitorrinco foi o empurrão para o abismo de que eu precisava. Comecei agora, mas se quiser conferir: www.utopiaspossiveis.blogspot.com

É um blog sujo para jovens até 90 anos.

PAULO R. CEQUINEL disse...

Não estive á beira de abismos, here, there and everywhere, meu caro e, como provaremos, não empurramos ninguém para buracos utópicos ou profundamente reais.
Você decidiu saltar e lançar-se, e fez muito bem.
Nossos advogados nos aconselharam a negar liminarmente tais insinuações.
Não tenha (muito) medo: o pouso não deforma, não solta as tiras e não tem cheiro.
Xaulo Moberto Wellcome Hequinel
The Deep Ornitorrinco Corporation