SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

domingo, 17 de outubro de 2010

Mais alguns patifes de batina. Na verdade, patifões de batina

Momento em que um  bispo patife da Regional Sul I da CNBB distribuia, sorrateiramente como é próprio de quem é dado a patifarias, panfletos calhordas e mentirosos contra Dilma Rousseff e o PT. O ORNITORRINCO não conseguiu apurar se o safadão que age em nome de deus é Benedito Beni dos Santos, ou Airton José dos Santos ou Nelson Westrupp. Aqui entre nós, e pensando bem, não faz a menor diferença. Eles negarão tudo, confessarão os pecados e serão absolvidos e irão para o paraíso. Bem, havendo um paraíso, coisa na qual não acredito, e estando este ornitorrinco devidamente morto, determino que meus filhos Paulo, Luciano e Jean verifiquem e constatem se os três patifes de batina que aqui nomino estão lá. Se estiverem, meninos, requeiram que me enviem diretamente para o inferno. Eu, pai definitivamente imperfeito, mereço respeito, porra!   

Um comentário:

celio disse...

Com certeza vc tem toda a razão companheiro, bando de safados que se escondem atrás não só da batina como atrás de um púlpito, no caso dos evangélicos e tem este padréco aqui de Antonina que está se achando só porque tem uma radio e acha que pode fazer o que bem entender, temos que mandar eles lá para o purgatório se é que existe.
Um abraço
Célio Guanandy