SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Borrai-vos de medo, ó crentes: a santa madre e genocida igreja católica acaba de aprovar “aplicativo que ajuda fiéis a confessar”


Versão 1.0 do Aplicativo Auxiliador para Obtenção de Confissões

Versão 2.0 do Aplicativo Auxiliador para Obtenção de Confissões

Publiquei no dia 27/01 texto falando de Tlazolteotl, a Deusa Comedora de Imundícies dos astecas e com ela as coisas eram mesmo muito fáceis: bastava ao crente confessar os erros, as cagadas e os pecados todos, que ela comia tudo com farinha, e o sujeito ó, ia direto para o céu.

Expliquei que a vida seguia seu curso normal e sem grandes turbulências para a civilização asteca quando, quiospariu!, os espanhóis e seus canhões e crucifixos, e suas fogueiras, e seu catolicismo genocida, lhes enfiaram goela abaixo a face misericordiosa de deus, com os resultados que todos conhecemos.

Mas hoje descobri que os católicos, sempre tão criativos quando se trata de obter confissões, parecem ter inventado o que poderia ser uma versão cibernética de Tlazolteotl.

A notícia foi para mim assustadora porque, quando li que a santa madre “aprova aplicativo que ajuda fiéis a confessar”, imediatamente lembrei daquelas máquinas de esticar pessoas muito usadas durante a inquisição, lembram disso?

Nos Estados Unidos – e onde mais poderiam criar porcaria tão evidente? – a santa madre igreja genocida católica aprovou um aplicativo para iPhone que ajuda fiéis a confessarem. O programa, chamado Confissão, foi colocado à venda semana passada pela loja virtual da Apple, iTunes, por US$ 1,99 (R$ 3,32) e é descrito como "a ajuda perfeita para todo penitente", porque a geringonça inútil dá ao usuário dicas e orientações sobre o ato da confissão.

Não por acaso os arquitetos do aplicativo são do estado americano de Indiana, que integra o chamado Cinturão Bíblico, região marcada por religiosidade fanatizada, extremado conservadorismo, intolerância, racismo e outros mimos que só crentes obtusos são capazes de produzir.

Sei não, amigos internautas, mas comendo minhas goiabinhas regulamentares e posto em relativo sossego, considero Tlazolteotl muito melhor que esse deus cristão inexistente. Afinal, enquanto ela, honestamente, limitava-se a comer as imundícies e nos salvava sem fazer exigências ou ameaças, o misericordioso deus cristão e ocidental adora mandar pecadores para o fogo do inferno e, pior ainda, é operoso produtor de imundícies como essa pastorzada e suas sacolinhas eletrônicas e os padrecos cagões da da Canção Nova e da tal renovação carismática.
(Com informações do Blog do Nassif)

2 comentários:

DiAfonso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DiAfonso disse...

Minha nossinhora!

Eu - católico, apostólico RELACHADO ROMANO - tou ferrado... Vou pro inferno de cabeça pra baixo... Sem chance!

Mas ainda há uma esperança... Dane-se Ratzinguer [é assim o nome dele?... Bom, não importa!]!!! Mas não IMPORTA, MESMO!!!

Enquanto temos alta tecnologia para que os pecados sejam perdoados [isso implica fortunas! A bula papal está em voga de novo?!?! Que não venha um novo Lutero..!], convivemos com a pedofilia no seio da Igreja e a sanha de um poder paralelo ao dos céus [Em que eu, piamente, acredito... A Lua e meu DEUS sabem disso... Francisco de Assis, também...]

Oremos, irmãos, para um mundo em que essa desfaçatez não cegue o olho do homem...